Cadernos de Geografia
Este blog serve para publicar trabalhos, comentários, fotos e outros testemunhos de quem comigo trabalha todos os dias. Assim como de quem queira colaborar connosco! Contamos com a vossa participação!
20
Out 11

publicado por Mäyjo às 19:27
20
Out 11

               
         

Trabalho realizado por:

    

Lucas Santos nº11

    

Marisa Pinto nº13

    

Rossana Chotumiã

         
     Sara Silva nº18     

Ano lectivo 2010/2011

         

   A gravidez na adolescência é cada vez mais frequente e deve-se a diversos factores, entre eles a falta de informação sobre o tema da sexualidade muitas vezes devido à falta de suporte e apoio dos pais com quem os filhos não falam abertamente sobre a sua vida sexual e sobre os cuidados que se deve tomar, a falta de acessibilidade aos meios contraceptivos e o consumo de álcool e de drogas que podem afectar e diminuir o efeito dos  contraceptivos. O uso de álcool e drogas está associado à vontade de experimentar dos adolescentes, que pensam que serão gozados e excluídos da comunidade se não o fizerem.

A gravidez prematura é complicada e apresenta diversas consequências que marcam a vida de qualquer adolescente que tenha de enfrentar a decisão de ter ou não um filho nessa idade.

Os adolescentes ficam afectados psicologicamente, porque não conseguem lidar com grandes responsabilidades como as paternais, a adolescente fica chocada emocionalmente pelas rápidas mudanças no seu corpo, a reacção dos pais também pode afectar as adolescentes, a escolha de ter ou não o bebé, o risco de saúde da adolescente e do bebé porque muitas vezes as adolescentes tentam esconder a gravidez não tomando os devidos cuidados, os preconceitos podem enfraquecer a mentalidade da adolescente levando a que esta queira abortar sem pensar nas consequências.

Antigamente as adolescentes só podiam ter relações sexuais depois do casamento e se tivessem antes e engravidassem eram obrigadas a casar. Mesmo que não soubessem quem era o pai da criança, os pais arranjavam-lhe algum pretendente. Apesar de não haver muita informação sobre os métodos contraceptivos nessa época a gravidez na adolescência naquela altura era menor.

Hoje em dia a tradição mudou e as jovens começam a ter relações sexuais mais cedo, tendo maior hipótese de engravidar mesmo utilizando métodos contraceptivos.

A escolha de ficar com o bebé vem com algumas consequências assim como a decisão de fazer o aborto.                                                                               

Quando a adolescente escolhe ficar com o bebé tem de pensar se está disposta a tomar os devidos cuidados e a aceitar as responsabilidades assim como as limitações. A adolescente tem de pensar se consegue dar ao bebé o ambiente estável de que este precisa para viver de forma saudável e equilibrada, tem de pensar no pai da criança e nos seus pais porque são estes que vão ter de apoiá-la nessa decisão.                                   
                                                          

A decisão de fazer o aborto é da responsabilidade não só da mãe mas também do pai da criança e deve ter em conta as consequências que vêm com essa decisão. Apesar de o aborto ser actualmente um procedimento médico considerado seguro e eficaz, pode sempre acontecer alguma coisa e as adolescentes podem ficar constantemente a pensar no que fizeram e se foi a decisão mais acertada.

Quando uma adolescente engravida tem de enfrentar muitas escolhas, preocupações, limitações e responsabilidades.
A primeira das responsabilidades que a adolescente ganha é ter mais cuidado com a sua saúde e com a saúde do seu bebé, a segunda é contar aos pais e ao pai do bebé sobre a gravidez. A adolescente também enfrenta algumas limitações como acabar com as saídas com os amigos para uma estabilidade maior do bebé, acabar com o consumo de álcool e de tabaco, se consumir, para não prejudicar o bebé
enquanto está dentro da barriga e também para não prejudicar o leite para o período em que vai ter de o amamentar.

Alguns estudos mostram que os adolescentes que vivem em lugares mais pobres com falta de informação sobre os métodos contraceptivos têm mais probabilidades de engravidarem do que aquelas que têm uma maior educação.

Como tal, a escola deve ter um papel importante na vida dos adolescentes, tendo o cuidado de informar os alunos de todos os cuidados que devem ter ao iniciar a sua vida sexual, apresentar formas de se prevenirem através do uso de métodos contraceptivos e discutir sobre as consequências de uma gravidez não planeada.

Para além disso, os pais podem e devem desempenhar um papel fundamental nessa formação discutindo o assunto abertamente com os seus filhos e respondendo a todas as questões colocadas de forma clara e objectiva. Podem inclusivamente acompanhar a adolescente a uma consulta de planeamento Familiar onde também poderá esclarecer todas as dúvidas e obter mais informações sobre métodos contraceptivos.

Para evitar uma gravidez precoce a melhor forma é a utilização de métodos contraceptivos, que ajudam a prevenir a gravidez não desejada, permitindo a vivência da sexualidade de forma saudável e segura. Existem vários tipos de contraceptivos mas o preservativo é o único método que, simultaneamente, protege contra as infecções sexualmente transmissíveis. Métodos anticoncepcionais são maneiras ou técnicas simples utilizadas por quem pretende manter relações sexuais sem correr o risco de gravidez precoce ou contrair doenças. Infelizmente hoje em dia, o número de mulheres que engravidam sem estar preparadas para ter um filho é extremamente grande.

publicado por Mäyjo às 17:58
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
16
17
19
21
25
26
27
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO